Logotipo loading CEMA Hospital

Uso prolongado de máscaras pode provocar olho seco e lacrimejamento

Estudo mostra aumento nos casos de pessoas com doenças oculares causadas pela falta de lubrificação ocular; saiba como evitar

Imagem retirada do banco de imagens

De pano, TNT, N95, PFF2. As opções são muitas. As máscaras entraram como importantes agentes de controle da pandemia de coronavírus. O uso delas torna-se ainda mais imprescindível em um momento no qual os casos de Covid-19 e mortes decorrentes da doença atingem níveis alarmantes. Porém, a utilização desses acessórios pode facilitar o aparecimento de alguns problemas oculares. “Já existem estudos mostrando que o uso prolongado de máscaras pode estar associado às alterações na superfície ocular, como irritação e inflamação”, explica a médica do setor de Plástica Ocular e Vias Lacrimais do Hospital CEMA, Rita de Cássia Lima Obeid. 

Um artigo divulgado na Ophthalmology and Therapy já indica um aumento nos casos de olho seco relacionados ao uso de máscaras. Especialistas da Center for Ocular Research and Education (CORE) divulgaram nota alertando os profissionais sobre essa associação entre elas e problemas oculares. “A irritação e inflamação podem provocar sintomas, como o lacrimejamento. Isso ocorre porque o ar escapa da máscara e vai em direção aos olhos e isso aumenta a evaporação da lágrima”, explica a médica.

Vale lembrar que a lágrima tem um papel essencial na saúde dos olhos. Ela é responsável por lubrificar a superfície ocular e auxiliar na transparência da córnea. Se produzida em quantidade e qualidade suficientes, ela evita também a entrada de agentes nocivos no organismo, por via intraocular. A secura nos olhos, que pode aparecer em quem usa máscaras por tempo prolongado, pode levar a um quadro mais grave de Síndrome do Olho Seco, que provoca ressecamento e mau funcionamento das glândulas lacrimais. O uso de telas, a poluição, exposição solar e mudanças climáticas também influenciam. Pessoas de idade avançada, usuários de lentes de contato ou aqueles que utilizam máscaras por muito tempo estão entre os mais propensos a desenvolverem problemas oculares.

O incômodo ocular pode ainda provocar sintomas que fazem a pessoa afetada coçar ou pôr as mãos nos olhos, o que facilita a entrada de micro-organismos nocivos, como o vírus causador da Covid-19. A oftalmologista explica que entre as principais medidas para evitar doenças oculares está a utilização de colírios para lubrificar os olhos e a vedação correta da máscara, de modo a evitar que o ar escape pelo nariz e vá para os olhos. Caso os sintomas perdurem, a indicação é procurar um oftalmologista e lembrar sempre de levar a máscara, aonde quer que vá.

Dr. Rita de Cássia Lima Obeid, médica do setor de Plástica Ocular e Vias Lacrimais do Hospital CEMA.
CRM: 79710

Data de Publicação : 05/04/2021